quarta-feira, 30 de junho de 2010

Do príncipe ao sim - Elisa Lucinda

O homem que eu amo
veio de tanto eu pedir
mas quando parei de esperá-lo
veio quando eu ao depená-lo
do meu sonho receio,
permiti que em vez de início ou fim
ele no meio de mim
fosse só o meio.
Não meio no sentido tático
de jeito ou de modo.
Meio no sentido de durante
de enquanto
de presente.
Quando abandonei o título futuro
definitivo da eternidade
o rótulo azarento de garantia
no departamento de intimidade,
quando abandonei o desejo
de ressarcir aquio que perdi na antigüidade,
meu homem chegou cheio de saudade
ocupando inteiro
seu lugar de meio
sua inteira metade.

Cultura - Francis Bacon

Leia não para contradizer nem para acreditar,
mas para ponderar e considerar (...)
A leitura torna o homem completo,
as preleções dão a ele prontidão
e a escrita torna-o exato.

terça-feira, 29 de junho de 2010

Prosperidade - Henry Ford

"Os dias prósperos não vêm por acaso,
nascem de muita fadiga e persistência."

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Poema a boca fechada - José Saramago

Não direi:
Que o silêncio me sufoca e amordaça.
Calado estou, calado ficarei,
Pois que a língua que falo é de outra raça.
Palavras consumidas se acumulam,
Se represam, cisterna de águas mortas,
Ácidas mágoas em limos transformadas,
Vaza de fundo em que há raízes tortas.
Não direi:
Que nem sequer o esforço de as dizer merecem,
Palavras que não digam quanto sei
Neste retiro em que me não conhecem.
Nem só lodos se arrastam, nem só lamas,
Nem só animais bóiam, mortos, medos,
Túrgidos frutos em cachos se entrelaçam
No negro poço de onde sobem dedos.
Só direi,
Crispadamente recolhido e mudo,
Que quem se cala quando me calei
Não poderá morrer sem dizer tudo.

Lista de preferências - Bertold Brecht

Alegrias, as desmedidas.
Dores, as não curtidas.
Casos, os inconcebíveis.
Conselhos, os inexegüíveis.
Meninas, as Veras.
Mulheres, as insinceras.
Orgasmos, os múltiplos.
Ódios, os mútuos.
Domicílios, os passageiros.
Adeuses, os bem ligeiros.
Artes, as não rentáveis.
Professores, os enterráveis.
Prazeres, os transparentes.
Projetos, os continentes.
Inimigos, os delicados.
Amigos, os estouvados.
Cores, o rubro.
Meses, o outubro.
Elementos, os fogos.
Divindades, o logos.
Vidas, as espontâneas.
Mortes, as instantâneas.

sábado, 26 de junho de 2010

Tranquilidade - Shakespeare

“A água corre tranquila quando o rio é fundo”.

Nome - Ferreira Gullar

E depois de tanto que importa um nome?
Te cubro de flor, menina,
e te dou todos os nomes do mundo:
te chamo aurora
te chamo água
te descubro nas pedras coloridas
nas artistas de cinema
nas aparições do sonho...


in “Poema Sujo”

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Felicidade - Mia Couto

"Sou feliz só por preguiça.
A infelicidade dá uma trabalheira pior que doença.
É preciso entrar e sair dela,
afastar os que nos querem consolar,
aceitar pêsames por uma porção de alma
que nem chegou a falecer."

Mudanças - Emily Bronte

O amor muda, como as folhas das árvores no outono.
E se eu for capaz de entender isto,
serei capaz de amar.

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Escrever - Graciliano Ramos

Deve-se escrever da mesma maneira como as lavadeiras lá de Alagoas fazem seu ofício.
Elas começam com uma primeira lavada,
molham a roupa suja na beira da lagoa ou do riacho, torcem o pano,
molham-no novamente, voltam a torcer.
Colocam o anil, ensaboam e torcem uma, duas vezes.
Depois enxaguam, dão mais uma molhada, agora jogando a água com a mão.
Batem o pano na laje ou na pedra limpa, e dão mais uma torcida e mais outra,
torcem até não pingar do pano uma só gota.
Somente depois de feito tudo isso
é que elas dependuram a roupa lavada na corda ou no varal, para secar.
Pois quem se mete a escrever devia fazer a mesma coisa.
A palavra não foi feita para enfeitar, brilhar como ouro falso;
a palavra foi feita para dizer.

Amor - António A Baptista

"...talvez seja necessário despojarmo-nos de muitas coisas
e tornar a vestir as vestes da inocência para que o amor nos possa ser revelado."



em "O Riso de Deus"

Verídico - Sartre

"É impossível lutar com o que a alma escolheu"

Inteiramente - Graciliano Ramos

Dizes que brevemente serás a metade de minha alma.
A metade?
Brevemente?
Não: já agora és,
não a metade, mas toda.
Dou-te a minha alma inteira,
deixe-me apenas uma pequena parte
para que eu possa existir por algum tempo
e adorar-te.

in "Cartas de amor a Heloísa"

Excelência - Fangio

"Você deve sempre acreditar que pode ser o melhor,
mas não deve nunca acreditar que alcançou esse objetivo".

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Ser - Clarice Lispector

"Criar de si próprio um ser é muito grave.
Estou me criando.
E andar na escuridão completa, à procura de nós mesmos é o que fazemos.
Dói.
Mas é dor de parto: nasce uma coisa que é.
É-se."

Eu - Clarice Lispector

"Eu antes tinha querido ser os outros para conhecer o que não era eu.
Entendi então que eu já tinha sido os outros e isso era fácil.
Minha experiência maior seria ser o outro dos outros:
e o outro dos outros era eu."

terça-feira, 22 de junho de 2010

Para refletir - Benjamin Franklin

"O falso amigo e a sombra,
só nos acompanham quando o sol brilha."

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Mulher de aquário - Vinícius de Moraes

"Se o que se quer é a boa esposa A aquariana pousa.
Se o que se quer é uma outra coisa
A aquariana ousa.
Se o que se quer é muito amor
A aquariana
É a mulher macho sim senhor.
Porém não são possessivas
Nem procuram dominar
Ou são meigas e passivas
Ou botam para quebrar."

Fases - Rubem Alves

"Minha vida... se divide em três fases.
Na primeira,
meu mundo era do tamanho do universo e era habitado por deuses,
verdadeiros e absolutos.
Na segunda fase meu mundo encolheu,
ficou mais modesto e passou a ser habitado por heróis revolucionários
que portavam armas e cantavam canções de transformar o mundo.
Na terceira fase,
mortos os deuses,
mortos os heróis,
mortas as verdades e os absolutos,
meu mundo se encolheu ainda mais
e chegou não à sua verdade final
mas à sua beleza final:
ficou belo e efêmero como uma jabuticabeira florida"

in "Do Universo à Jabuticabeira"

Para refletir - Machado de Assis

"Não precisa correr tanto;
o que tiver de ser seu às mãos lhe há de ir".

in "Dom Casmurro"

Conferência do meu EU - Rockson C Pessoa

Decidi que o amor é cíclico
E que o AMAR é muitas vezes quadrado
O verbo amar, não concorda com o sentimento AMOR
Sim! Não tem concordância emocional - não digo nominal!
Simplesmente digo... Uma concordância emocional

Se o amor é essencial passiona
O amar nem sempre ultrapassa o trivial.
Sentidos figurados e diferentes.

Se amor reside na fantasia...
O amar por si só se entrega no ilusório
Hipóteses débeis, mas especulações que aqui cabem.

Amor é cíclico...
Amar é quadrado

Não sei mais ao certo..
Nas conferências do meu Eu
Teimo a trilhar
Por caminhos incertos

sábado, 19 de junho de 2010

Sobre o tempo - José Saramago

" Costuma-se dizer,
dêmos tempo ao tempo,
mas aquilo que sempre nos esquecemos de perguntar
é se haverá tempo para dar"



in "O Homem Duplicado"

Fragilidade humana - José Saramago

"... com a tripa em sossego qualquer um tem idéias,
discutir, por exemplo, se existe uma relação direta entre os olhos e os sentimentos,
ou se o sentido da responsabilidade é a conseqüência natural de uma boa visão,
mas quando a aflição aperta,
quando o corpo se nos desmanda de dor e angústia,
então é que se vê o animalzinho que somos"



in "Ensaios sobre a Cegueira"

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Palavra de poeta - Ramon Mello

Uma poeta ensinou
não guardar poemas presos
lavar palavra suja
antes de usar com cuidado
não derramar os baldes d’água
debaixo dos olhos
ensinou ter pensamento
chão
não deixar de dizer poesia
reconhecer palavra boa
e manter o tempo
em cárcere privado.


in “ Vinis mofados”

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Grande Desejo - Adélia Prado

Não sou matrona, mãe dos Gracos, Cornélia,
sou é mulher do povo, mãe de filhos, Adélia.
Faço comida e como.
Aos domingos bato o osso no prato pra chamar o cachorroe atiro os restos.
Quando dói, grito ai,
quando é bom, fico bruta,
as sensibilidades sem governo.
Mas tenho meus prantos,
claridades atrás do meu estômago humilde
e fortíssima voz pra cântigos de festa.
Quando escrever o livro com o meu nome
e o nome que eu vou pôr nele,
vou com ele a uma igreja,
a uma lápide, a um descampado,
pra chorar, chorar e chorar,
requintada e esquisita como uma dama.



do livro "Bagagem".

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Sem palavras - Balzac

"As mulheres têm um inimitável talento
para exprimir seus sentimentos sem empregar palavras demasiado vivas;
sua eloqüência está sobretudo no acento,
no gesto,
na atitude
e nos olhares."


em "Mulher de trinta anos"

Força - Clarice Lispector

"Minha força está na solidão.
Não tenho medo nem de chuvas tempestivas nem de grandes ventanias soltas,
pois eu também sou o escuro da noite."

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Amar - Edson Marques

Amar é permitir sempre,
amar é deixar que o outro vá.
Ou que fique, se assim o desejar.
Amar é ter um respeito absoluto
pela própria liberdade
e pela liberdade do outro.
Amar é compreender sempre.
E isso não significa apenas entendimento racional,
vai além, muito além:
Amar é reconhecer afetuosamente
o direito que o outro tem de fazer suas escolhas.

Se pudesse começar de novo - Edson Marques

A vida é muito curta.
Isto é fatal. Mas, se eu pudesse começarde novo,
tomaria certos cuidados que nem sempre tomei.
Jamais teria permitido que me prendessem, ainda que em nome do amor.
Teria quebrado as correntes logo no início.
Teria tido menos pressa e mais coragem.
E nenhum sentimento de culpa.
Daria valor secundário a todas as coisas secundárias,
e consideraria secundário tudo aquilo que não tivesse o efetivo poder de causar mudanças significativas no rumo da minha vida.
Todas as manhãs começariam com meditação, sexo e frutas leves.
Se pudesse começar de novo,
dançaria muito mais do que dancei,
e brincaria muito mais do que brinquei.
Minha Vida seria uma festa...
Se pudesse mesmo começar de novo,
seria mais espontâneo.
Seria mais ousado: A ousadia move o mundo.
Desobedeceria todas as regras injustas,
e afastaria os preconceitos e a hipocrisia.
Procuraria respeitar sempre o Deus de cada um.
Teria viajado muito mais do que viajei.
Correria mais riscos.
E teria tido seis milhões de amores profundos...
Se eu pudesse começar outra vez,
iria aprender com os erros dos outros,
e com os acertos também.
Andaria mais leve: não levaria comigo nada que fosse apenas um fardo.
Não teria desperdiçado tanta vida e tanto tempo.
Não teria tentado salvar todo mundo.
Amaria muito mais a liberdade.
Viveria cada minuto como se Deus derramasse flores e estrelas na minha cabeça.
Tentaria uma coisa nova todos os dias.
Em tudo que fizesse colocaria mais Poesia, mais Amor, mais Alegria.
E teria feito a opção de ser feliz muito mais cedodo que fiz.

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Solidariedade - Audrey Hepburn

"Lembre-se que se algum dia você precisar de ajuda,
você encontrará uma mão no final do seu braço.
À medida que você envelhecer,
você descobrirá que tem duas mãos -
uma para ajudar a si mesmo,
e outra pra ajudar aos outros."

Objetivos - Henry Ford

"Obstáculos são aqueles perigos que
você vê quando tira os olhos de seu objetivo."

Para refletir - Fruits Basket

"Se existe alguém que pode machucar você,
existe alguém que pode curar suas feridas."

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Sempre resta alguma coisa - Gustav Flaubert

Pois bem,
suavemente,
um dia empurrando o outro,
uma primavera após um inverno
e um outono depois de um verão,
tudo deslizou pouco a pouco,
pedacinho por pedacinho;
foi embora, partiu,
desceu, quero dizer,
pois sempre resta alguma coisa no fundo,
assim como…
um peso, aqui no peito!“

in Madame Bovary

segunda-feira, 7 de junho de 2010

É só me pedir - Caio Fernando Abreu

Eu entro nesse barco, é só me pedir.
Nem precisa de jeito certo, só dizer e eu vou...
Eu abandono tudo, história, passado, cicatrizes.
Mudo o visual, deixo o cabelo crescer,
começo a comer direito, vou todo dia pra academia
Mas você tem que remar também.
Eu desisto fácil, você sabe.
E talvez essa viagem não dure mais do que alguns minutos,
mas eu entro nesse barco, é só me pedir.
Perco o medo de dirigir só pra atravessar o mundo pra te ver todo dia.
Mas você tem que me prometer que vai remar junto comigo.
Mesmo se esse barco estiver furado eu vou, basta me pedir.
Mas a gente tem que afundar junto e descobrir que é possível nadar junto.
Eu te ensino a nadar, juro!
Mas você tem que me prometer que vai tentar,
que vai se esforçar, que vai remar enquanto for preciso, enquanto tiver forças!
Você tem que me prometer que essa viagem não vai ser a toa, que vale a pena.
Que por você vale a pena.
Que por nós vale a pena.
Remar.
Re-amar.
Amar..."

sábado, 5 de junho de 2010

Ilusão - Dostoiévski

"Ora veja... é o que sempre acontece às pessoas românticas:
enfeitam uma criatura, até o último momento, com penas de pavão,
e não querem ver, nela, senão o que é bom,
muito embora sentindo tudo ao contrário.
Jamais querem, antecipadamente, dar às coisas o seu devido nome.
Essa simples ideia lhes parece insuportável.
A verdade, repelem-na com todas as forças,
até o momento em que aquela pessoa,
engalanada por elas próprias,
lhes mete um murro na cara."

in Crime e Castigo.

Evitando sofrimento - Goethe

"Neste mundo haveria menos sofrimento se os homens não se ocupassem,
com tanta imaginação,
em fazer voltar a lembrança das dores passadas
em vez de suportar um presente tolerável."

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Parada Cardíaca - Paulo Leminski

Essa minha secura
essa falta de sentimento
não tem ninguém que segure,
vem de dentro.
Vem da zona escura
donde vem o que sinto.
Sinto muito,
sentir é muito lento.

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Momento nostalgia - Caio Fernando Abreu

Tenho sentido coisas inexplicáveis, carências incuráveis...
Ninguém acredita, mas eu sou uma pessoa muito sozinha.
Não pense que isso é ruim não,
porque ruim é não sentir nada,
a solidão faz parte.
Tenho sentido uma vontade sobrenatural
de ligar para alguém que já não me atenderia mais,
tenho vontade de dizer que faz falta o que não vivi.

Tudo está guardado - Rubem Alves

"Eu acho que há muitos céus, um céu para cada um.
O meu céu não é igual ao seu.
Porque céu é o lugar de reencontro com as coisas que a gente ama
e o tempo nos roubou.
No céu está guardado tudo aquilo que a memória amou..."

terça-feira, 1 de junho de 2010

Pensando... - Millôr Fernandes

Eu penso tanto e me canso tanto com meu
pensamento, que às vezes penso
em não pensar jamais.
Mas isto requer ser bem pensado pois se penso
demais acabo despensando tudo que pensava
antes e se não penso fico pensando
nisso o tempo todo.

Última página - Flora Figueiredo

Mais uma vez o tempo me assusta.
Passa afobado pelo meu dia,
atropela minha hora,
despreza minha agenda.
Corre prepotente a disputar lugar com a ventania.
O tempo envelhece e não se emenda.
Deveria haver algum decreto que obrigasse o tempo a desacelerar e a respeitar meu projeto.
Só assim, eu daria contados livros que vão se empilhando,
das melodias que estão me aguardando,
das saudades que venho sentindo,
das verdades que eu ando mentindo,
das promessas que venho esquecendo,
dos impulsos que sigo contendo,
dos prazeres que chegam partindo,
dos receios que partem, voltando.
Agora, que redijo a página final,
percebo o tanto de caminho percorrido ao impulso da hora que vai me acelerando.
Apesar do tempo e sua pressa desleal,
agradeço a Deus por ter vivido,
amanhecer e continuar teimando.