quinta-feira, 28 de abril de 2011

Tristeza momentânea - Caio F Abreu

(...) Você pode dizer que isso tem sido freqüente demais,
ou até um pouco (ou muito) chato.
Mas, que se há de fazer, se eu estava mesmo muito triste?
Tristeza-garoa, fininha, cortante, persistente,
com alguns relâmpagos de catástrofe futura.
Projeções: e amanhã, e depois? e trabalho, amor, moradia?
Alinhar ao centroo que vai acontecer?
Típico pensamento-nada-a-ver: sossega, o que vai acontecer acontecerá.
Relaxa, baby, e flui: barquinho na correnteza, Deus dará."

2 comentários:

Vanessa disse...

É perfeito este trecho não é?
Obrigada pelo recado minha linda! Fiquei muito feliz, ainda mais vindo da minha incentivadora! =)
Já nem preciso dizer que o seu é um dos meus preferidos e roteiro diário não é?
Saudades suas!

=***

dja disse...

Olá Adélia

É mesmo lindona o que tiver que ser será, estamos no barco.

Beijinhos, ótima sexta.