quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Distância - Clarissa Corrêa


“Amar de longe não é fácil.
É complicado não acordar com aquele cheiro,
aquele calor do corpo, aquele abraço.
É doloroso não ter aquela voz no ouvido, aquele colo, aquela risada boa e boba.
Pode ser logo ali, naquela cidade que fica a quarenta e cinco minutos de avião.
Pode ser lá longe, em outro país. Pode ser em outro estado.
Pode ser do outro lado do oceano.
Não importa: a saudade arde.
Mas serve para nos mostrar como o outro é importante.
Serve para mostrar como pequenas coisas fazem falta.
A saudade faz a gente prestar mais atenção no outro.
E, principalmente, a saudade mostra o que é de verdade.
Porque só os amores guerreiros sobrevivem ao tempo e à distância.”

3 comentários:

Evelin disse...

Mais uma vez o poema certo para o momento certo... coração ardendo de saudade... ou tu posta o que a maioria sente, ou tu anda me seguindo! hehe Parabéns, o blog está sempre ótimo! um abraço!

Paulinha Lopes disse...

Saudade aperta mesmo.... arde.
E não tem quem não sinta na vida essa dor tão contraditória: que só quem ama experimenta!

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Adélia, muito bonito e verdadeiro esse texto. Ainda bem que se descobre o valor do outro por causa de distancias atingíveis. Tem gente que passa a vida inteira ao lado de alguém e só vai sentir seu valor quando já se foi. Portanto vamos observar mais o nosso(a) outro(a) e aproveitemos porque a vida é curta demais.
Grande abraço.
Manoel.