domingo, 19 de setembro de 2010

Temor de si - Clarice Lispector

Quem se recusa o prazer,
quem se faz de monge, em qualquer sentido,
é porque tem uma capacidade enorme para o prazer,
uma capacidade perigosa - daí um temor maior ainda.
Só quem guarda as armas a chave é quem receia atirar sobre todos.


in "Perto do coração selvagem"

2 comentários:

todoyda disse...

Oi Adélia, vim aqui conhecer a sua casa e encontrei um monte de coisas bonitas e muita inspiração.
Obrigada por seguir meu humilde blog.
bjks
Cristiane

Pérola Anjos disse...

Negar ao prazer latente é tomar a dor por companheira.

Beijos!