sábado, 26 de fevereiro de 2011

Quem ama inventa - Mario Quintana

Quem ama inventa as coisas a que ama...
Talvez chegaste quando eu te sonhava.
Então de súbito acendeu-se a chama !
Era a brasa dormida que acordava...
E era um revoô sobre a ruinaria,
No ar atônito bimbalhavam sinos,
Tangidos por uns anjos peregrinos
Cujo dom é fazer ressureições...
Um ritmo divino? Oh! Simplesmente
O palpitar de nossos corações
Batendo juntos e festivamente,
Ou sozinhos, num ritmo tristonho...
Ó! meu pobre, meu grande amor distante,
Nem sabes tu o bem que faz à gente
Haver sonhado... e ter vivido o sonho!

in "Quintana de bolso - Coletânea - pág. 139"

2 comentários:

dja disse...

Adoro Quintana.
E seu blog também lindona

bjos e ótimo domingo

Adélia Nenevê disse...

Muito obrigada !

Sempre posto o que infelizmente estou sentindo... e Quintana neste momento sintetiza minha dor.

Mas... isso também vai passar !

Bjo